5 tendências de Cibersegurança para 2022

O universo digital está em constante evolução, não é mesmo? E isso não será diferente durante 2022. Comumente, novas tendências de cibersegurança surgem, afinal, estamos vivendo em um mundo cada vez mais novo, portanto, temos outras demandas e o mercado se prepara para atendê-las.

Quer conhecer quais são as novidades para a cibersegurança ao decorrer desse ano? Continue acompanhando esse artigo com atenção.

Boa leitura!

1. Toda atenção voltada para a vulnerabilidade das nuvens

Em 2022, os cibercriminosos empenham-se para atacar as infraestruturas que se baseiam em nuvem. Assim sendo, as empresas passam a operar mais para manter a segurança desses ativos. Logo, está entre as tendências de cibersegurança para esse ano, a vulnerabilidade na nuvem.

Agora, a missão é modernizar os sistemas de proteção cibernética, realizar a varredura de vulnerabilidade com frequências e definir regras de patch.

Desse modo, softwares de gestão de vulnerabilidade de excelência, desenvolvido para o combate contra os vetores de ataque, passam a ter mais utilidade.

Ao dar acesso de usuários para os ativos de corporações, as empresas vão adotar novos privilégios mínimos, bem como a autenticação multifatorial.

2. Possível abandono do SIEM

Embora o Sistema de Gerenciamento de Informações e Eventos de Segurança (SIEM) marque presença no universo da segurança cibernética há mais de 20 anos, é algo que pode perder tamanha importância em 2022, sendo uma das maiores tendências de cibersegurança para o ano.

Com o surgimento de tecnologias modernizadas e desenvolvidas para o atual cenário, os especialistas em cibersegurança passam a questionar se o SIEM deve fazer parte das operações.

Dessa forma, é algo que pode deixar de ter tanta necessidade ao decorrer dos próximos meses.

3. Atualizações na proteção de IoT

Atualmente, a Internet das Coisas (IoT) ganha mais adeptos, entretanto, grande parte dos dispositivos não contam com a proteção adequada e os cibercriminosos se aproveitam disso.

Logo, a atualização das ferramentas de identificação e de respostas às ameaças do hacking de IoT,é uma das tendências de cibersegurança, dado que passa a ser cada vez mais importante impedir prejuízos e ataques.

4. Zero Trust

A política conhecida como Zero Trust é uma das principais tendências de cibersegurança para 2022, o conceito consiste em manter a proteção de sistemas importantíssimos e informações das organizações.

De modo geral, várias empresas já conhecem bem essa ideia, contudo, nesse ano, a política Zero Trust recebe mais atenção dos diversos tipos de organizações.

Entenda que a estratégia Zero Trust tem a importante função de proporcionar mais segurança a cadeia de abastecimento, por exemplo, uma vez que se baseia em não confiar em nenhum indivíduo com acesso às suas informações ou à rede, até que alguém receba a qualificação de confiável, ainda que a confiança tenha um prazo determinado de tempo, ou seja apenas para algum serviço específico.

Além disso, Zero Trust consegue amenizar qualquer risco conectado ao trabalho remoto. A política consegue prevenir o acesso a sistemas e as informações através de dispositivos inseguros operando em uma única rede.

Primeiramente, o Zero Trust é responsável por desenvolver um casulo ao redor das tarefas da equipe de colaboradores para assegurar que os ataques cibernéticos em potencial não se ampliem fora dessa iminência.

5. Seguro cibernético

As empresas que desejam evitar o pagamento alto de seguro cibernético passarão a adotar abordagens de segurança bem mais modernizadas, portanto, está entre as tendências de cibersegurança, a abordagem robusta de proteção cibernética.

A princípio, as organizações estão com o interesse em firmar contrato com o seguro cibernético, porém, as seguradoras vão impor exigências rígidas sobre a cobertura.

Agora é com você! Quer contar com tecnologia de qualidade? Faça a cotação do nosso serviço já!

Deixe uma resposta