É possível evitar ciberataques com inteligências artificiais?

Cada dia mais a tecnologia vai evoluindo. Desde que ela apareceu e começou a fazer parte da nossa rotina, não conseguimos mais viver sem ela. Ela facilitou nossa forma de comunicação e nosso jeito de trabalhar, comprar, estudar e fazer pesquisas.

Em casos em que antes era apenas possível imaginar certas situações em um mundo moderno, a inteligência artificial chegou para mudar essa perspectiva tecnológica. Sua função é permitir que certos dispositivos desenvolvam atividades que antes apenas as pessoas conseguiam realizar.

Baseando-se no conceito de criar máquinas inteligentes, a inteligência artificial possui uma aplicação chamada machine learning. Essa técnica é uma das mais conhecidas e consiste em permitir aos sistemas de computadores aprender e melhorar suas experiências de forma automática.

A relação entre IA e a cibersegurança

A inteligência artificial nasceu para se tornar uma tecnologia na qual se imita a capacidade humana de fazer análise e interpretação de dados e conseguir resolver certos problemas. Dessa maneira, foi possível anexá-la aos sistemas de segurança dos computadores para melhorar os processos de verificação de ataques, permitindo deixá-los mais seguros.

A segurança cibernética

Empresas de todos os tamanhos possuem milhares de dados e documentos armazenados de forma digital. Por isso, segurança é fundamental para que eles possam ser protegidos contra qualquer tipo de ataques e vazamentos.

Porém, devido à falta de conhecimento de algumas delas sobre o assunto, pode haver comprometimento na segurança do sistema e faz com que ele fique mais vulnerável a ataques virtuais.

Uma das principais preocupações nesse caso deve ser também com aqueles baseados em tecnologias de inteligências artificiais. Dessa forma, é essencial que haja um investimento em melhores recursos de cibersegurança, visto que os métodos atuais se encontram ultrapassados perante esses que são mais agressivos e sofisticados.

Por que há mais riscos?

Certos sistemas de segurança para computadores, como os antivírus, já se tornaram um pouco obsoletos. Mesmo uma equipe muito qualificada de uma empresa está sujeita a erros. E essa nova técnica de ataque aos dados é nova e mais resistente.

Por isso não pode haver erros. Qualquer mínima falha do sistema pode estar sujeita a ataques de cibercriminosos. Tentar combater essa ameaça com estratégias já bem conhecidas só torna o alvo ainda mais fácil de ser atacado. E quanto mais dispositivos estiverem conectados à rede da empresa e sem a devida proteção, maior será o prejuízo caso ocorra uma invasão de hackers.

Como se prevenir desses ataques?

Como nem todos os países conseguem ter uma boa técnica de cibersegurança, é possível solucionar esse problema através do uso de inteligências artificias. Elas têm a capacidade de diminuir o tempo de resposta, produzir técnicas de defesa de maneira rápida e identificar as ameaças.

Muitas empresas de grande porte já utilizam dessa tecnologia como solução para combater ciberataques. Por outro lado, o recurso da inteligência artificial é menos acessível para empresas de pequeno e médio porte, tornando-as mais desprotegidas.

Quais os prejuízos de um ciberataque?

Infelizmente, a empresa que está sob o risco de sofrer um ataque hacker pode enfrentar sérias consequências. Por serem mais vulneráveis e o alvo preferido de cibercriminosos, empresas menores correm o risco de terem todos os seus dados expostos, acarretando uma série de penalizações de acordo com as normas da LGPD, podendo levá-la inclusive à falência.

Por isso, os setores público e privado precisam articular soluções para que elas consigam enfrentar os problemas dos ciberataques, sendo uma delas a utilização de inteligências artificias.

Quer mais segurança e praticidade para o sistema da sua empresa? Então conheça os serviços da Corpia e peça uma cotação!

Deixe uma resposta